Paula Toller e Luísa Sonza cantam juntas em Nada Sei


Quando Paula Toller pisou no palco carioca do Circo Voador em 13 de novembro de 1982 com seu Kid Abelha, a referência feminina no pop rock brasileiro estava em desenvolvimento, com nomes como Rita Lee e Wanderléa. Por isso, o registro de 40 anos de carreira da cantora e compositora vai além da celebração de aniversário – são quatro décadas de poder feminino na música brasileira, levados ao palco por uma das precursoras. O single de estreia do registro audiovisual traz sabiamente a participação de Luísa Sonza junto a ela em "Nada Sei", e está disponível em áudio e vídeo em todas as plataformas a partir de hoje, 05 de julho.

Ouça aqui: https://bfan.link/nada-sei
Assista aqui: https://www.youtube.com/watch?v=y5IcaylFkR0

Canção e convidada não poderiam ser melhor escolhidas. Paula faz parte da turma do BRock, que escancarou a porta do gênero para que as gerações seguintes começassem a visitar confortavelmente a cena, da qual Luísa Sonza é uma das vozes mais potentes. A combinação das duas no palco é explosiva, em todos os sentidos. Começa pelo texto de "Nada Sei", que foge de autoindulgência e foca na liberdade de ser feminina: "Sou errada, sou errante/ Sempre na estrada, sempre distante". O resultado ficou perfeito. 

"A performance com Luísa em Nada Sei foi explosiva e levantou o público! Senti uma conexão musical e emocional com ela, nossas vozes combinaram bem demais. Foi um dos grandes momentos do show", Paula conta sobre a colaboração.

Feliz com o convite, Luísa Sonza celebra:

"É uma alegria enorme estar ao lado da Paula lançando a nova versão de uma música tão marcante, tão presente na trilha sonora da vida de todos nós. Fiquei lisonjeada com o convite e estou ansiosa por esse lançamento!"

Com a postura sempre firme e forte, Toller construiu trajetória de 10 milhões de discos, CDs e DVDs nas casas dos fãs do Kid Abelha e de seu trabalho solo, junto a seis discos de ouro, um de platina e um de diamante, de repertório de incontáveis hits. Em "Nada Sei", há o casamento perfeito dos vocais sopranos das duas que, com timbres diferentes, tornam a canção ainda mais deliciosa.

O single precede o lançamento do trabalho integral, onde constarão sucessos como "Amanhã é 23", "Eu tive um sonho", "Grand Hotel", "A fórmula do amor" e "Como eu quero". Além de Sonza, duas outras figuras icônicas de outras gerações foram convidadas a participar da celebração: o precursor da Bossa Nova Roberto Menescal e Fernanda Abreu, de trajetória contemporânea à de Toller – brilhou na Blitz e depois em carreira solo.

Dirigido por Gabriel Farias, da Cassava Creative, o registro faz parte da turnê "Amorosa", e aconteceu em janeiro deste ano no Rio de Janeiro. Acompanham a artista; ao violão, Liminha (produtor e diretor musical da turnê); Gustavo Camardella (violão e vocal); Pedro Dias (baixo e vocal); Gê Fonseca (teclado e vocal) e Adal Fonseca (bateria). A tour segue pela estrada durante este 2024, "errando enquanto o tempo me deixar".

Assessoria