Uberlândia tem 2 mil empresas com alta propensão a fechar as portas, diz estudo

A Neoway, uma empresa B3, produziu um levantamento que revelou que 24.835 empresas em Minas Gerais apresentam propensão alta ou muito alta a encerrar suas atividades. As cidades mineiras mais afetadas são Belo Horizonte com 5,9 mil empresas, Uberlândia com 2 mil, Contagem com 1,1 mil, Juiz de Fora com 763 e Betim com 584.

Setorialmente, 60% dessas empresas estão no setor de serviços, 27% no comércio, 7% na indústria e 5% na construção civil. Em termos de porte, 78% são microempresas, 19% são MEIs, e o restante é composto por pequenas, médias e grandes empresas. No que se refere ao ramo de atividade, o varejo lidera com 26%, seguido por serviços profissionais (12,5%), serviços de alojamento (12%) e serviços administrativos (9%). Os dados foram extraídos em junho na plataforma da Neoway, utilizando a base de CNPJs da Receita Federal.

A nível nacional, a quantidade de empresas com alta propensão a fechar chega a 215.288, sendo 78% microempresas. O setor de serviços lidera com 62%, enquanto o varejo é o ramo de atividade mais afetado, representando 26% do total. A região Sudeste concentra 50% dessas empresas, com São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro liderando os números.

Francielly Feijó, diretora de unidade de negócios de Sales & Marketing da Neoway, explica que diversos fatores contribuem para esses resultados, como condições econômicas gerais, mudanças no comportamento do consumidor e ambiente regulatório e fiscal, entre outros. Segundo Feijó, "com a inteligência dos dados, as empresas podem direcionar seus esforços de prospecção de forma mais estratégica, focando em clientes com maior estabilidade financeira e menor risco de fechamento, por exemplo. Isso ajuda a otimizar os investimentos. Além disso, os indicadores permitem que as empresas realizem análises mais precisas do risco associado a novos clientes e parceiros comerciais, melhorando a tomada de decisões e aumentando a eficiência operacional das empresas".

A recomendação da Neoway é implementar uma abordagem de prospecção mais precisa e eficiente, utilizando os indicadores para que as equipes de vendas e marketing concentrem seus esforços em clientes com maior estabilidade financeira e potencial de crescimento. Essa estratégia não só reduz o risco de investir em empresas com alta propensão de fechamento, mas também melhora a eficiência geral das operações comerciais, direcionando recursos para oportunidades mais promissoras.

Os indicadores de propensão da Neoway são desenvolvidos por um time de cientistas de dados e apoiam a priorização das melhores empresas para prospectar através do mapeamento das empresas que estão em crescimento e são relevantes. O modelo é capaz de associar dentro de quatro faixas (muito alto, alto, médio e baixo) os seguintes indicadores: relevância, crescimento e momento para prospecção. O Indicador de relevância é um score baseado na combinação de variáveis que indicam patrimônio, tamanho, porte e ativos financeiros do CNPJ, visando identificar empresas com relevância em relação aos seus bens e ativos. O Indicador de crescimento considera variáveis associadas ao crescimento e à alteração de dados cadastrais do CNPJ, para identificar empresas com indícios de expansão. O indicador momento para prospecção combina os scores de relevância e crescimento, retornando empresas que estão em expansão e possuem patrimônio relevante, tornando-as mais propícias para serem prospectadas.


Assessoria