‘Para Ver Freud’: série inédita e exclusiva do Curta! discute ensinamentos do psicanalista


 

Sigmund Freud em cena da série 'Para Ver Freud' (Crédito: Divulgação/Curta!)

 

'Para Ver Freud': série inédita e exclusiva do Curta! discute ensinamentos do psicanalista


Desvendar os mistérios da mente humana através dos ensinamentos de Freud é um dos objetivos da série inédita e exclusiva "Para Ver Freud", de Lyana Peck, que estreia no Curta! Baseada na coleção de livros de sucesso "Para Ler Freud" organizada por Nina Saroldi, apresentadora e consultora da produção, a obra explora os principais conceitos criados pelo pai da psicanálise.
 

Neurologista, Freud foi pioneiro no estudo da mente e escreveu diversos livros detalhando teorias que exploram a relação entre o consciente e o inconsciente e o uso da psicanálise - método criado por ele - como tratamento. Pesquisadores e psicanalistas participam dos cinco episódios de 40 minutos: "A Interpretação dos Sonhos", "Complexo de Édipo", "Compulsões e Obsessões", "O Inconsciente" e "Psicologia das Massas e Análise do Eu", analisando e interpretando as teorias de Freud e conectando-as com situações contemporâneas.
 

"Vivemos em uma sociedade eminentemente visual. (...) Por isso, a série é uma chance de apresentar ao grande público de modo mais acessível a obra do Freud. (...) Foi um trabalho primoroso e, com a direção da Lyana Peck e o roteiro da Maria Ganem, construímos uma série muito diferente e com qualidade para falar sobre o trabalho de Freud", assegura Nina Saroldi.
 

O primeiro episódio, "A Interpretação dos Sonhos", aborda o conceito descrito no livro lançado pelo psicanalista em 1900. Tania Rivera, Daniel Omar Perez, Christian Dunker e Rita Von Hunty explicam o papel dos sonhos para a psicanálise e como Freud analisava os seus pacientes a partir de seu inconsciente. "Com a teoria dos sonhos, o Freud mostrou que o inconsciente está aí para todos. Todos nós temos a nossa pequena loucura particular e privada nesse filme que a gente cria à noite para dar conta das intempéries relacionais, psíquicas ou das nossas insuficiências", explica o psicanalista Christian Dunker.
 

Mais de 100 anos depois, a saúde da mente e seus desdobramentos ainda é tema de ampla discussão no meio de um mundo globalizado e, cada vez mais, conectado. O conceito da psicanálise criado por Freud se tornou essencial para pensar e estudar temas atuais. A arte-educadora, drag queen e influenciadora Rita Von Hunty, comenta como o método criado há séculos perpassa os estudos sobre gênero, discussão bem mais recente. "A minha curiosidade com a psicanálise é resultado de um processo truncado de estar imbricada na coisa, não tem como estar fora dela. Na minha área de estudos culturais, teoria queer, teoria de gênero, estudos críticos ela é um discurso balizador desses outros saberes. (...) A nossa ideia de academia, nossa ideia de intelectualidade, nossos maiores intérpretes como Lelia Gonzales, estão em diálogo com a psicanálise", completa.
 

"Para Ver Freud" é uma produção da Giros viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). A série também pode ser assistida no CurtaOn – Clube de Documentários, disponível no Prime Video Channels, da Amazon, na Claro TV+ e no site oficial da plataforma (CurtaOn.com.br) com os episódios sendo disponibilizados semanalmente. A exibição é no dia temático Quintas do Pensamento, 06 de junho, às 23h.

 

As Moléstias do Império: episódio inédito de 'Histórias da Gente Brasileira' aborda as doenças e a medicina no século XIX


As moléstias, forma que as doenças eram chamadas no século XIX, traziam grande preocupação para a corte e grande sofrimento para a população mais pobre e escravizada. O recém instaurado império precisava, logo de cara, dar conta de formar médicos qualificados para cuidar das famílias mais abastadas que se estabeleceram no Rio de Janeiro. Esse é o tema de "Império - Moléstias", episódio inédito de "Histórias da Gente Brasileira", série exclusiva do Curta!, que também está disponível no CurtaOn - Clube de Documentários.
 

Apresentada pela historiadora Mary Del Priore e dirigida por Beca Furtado, a série traz especialistas a cada episódio. Neste, os convidados são Ionara Viana e Flávio Coelho Edler, que contam que a falta de saneamento e salubridade na cidade no século XIX foi responsável pelas diversas doenças que assolavam a população. Na época, a medicina praticada ainda era precária, havia poucos médicos formados e a primeira Faculdade de Medicina só foi surgir em 1832.
 

O atendimento, entretanto, não chegava a todos. Pobres e escravizados contavam com curandeiros que utilizavam a medicina popular para se curar. Juca Rosa e Mestre Tito foram importantes nomes da época. Perseguidos pelos acadêmicos, eles faziam o trabalho de prezar pela saúde e garantir um pouco mais de dignidade para a população mais pobre. "Essa proximidade com os curandeiros, feiticeiros era muito maior do que nós podemos imaginar. [...] Teve o Juca Rosa aqui no Rio de Janeiro, que mostra essa inserção dos indivíduos oriundos da escravidão, que atuaram dentro dos saberes de cura", explica a professora Ionara Viana.
 

O episódio ainda aborda a chegada de doenças contagiosas, trazidas nas grandes embarcações que chegavam aos portos. O cólera, a febre amarela e a tuberculose são exemplos de moléstias que assolaram a população durante o fim do século XIX. "O cólera tem essa característica muito própria: ele se espalha com uma velocidade enorme, causa uma mortalidade enorme e depois ele desaparece por um tempo. A primeira chegada do cólera foi marcada por um grande pânico", enfatiza o historiador e pesquisador Flávio Coelho Edler.
 

"Histórias da Gente Brasileira" é uma produção da Giros viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). A série também pode ser assistida no CurtaOn – Clube de Documentários, streaming disponível no Prime Video Channels — da Amazon —, na Claro TV+ e no site oficial da plataforma com episódios sendo disponibilizados semanalmente. A estreia do episódio no Curta! é no dia temático "Sextas de História e Sociedade", 07 de junho, às 23h30.
 

Assessoria