Minas Gerais é o terceiro estado com maior número de beneficiados da Faixa 1 do Desenrola


  

 

Foto: Divulgação / Ministério da Fazenda

Minas Gerais é a terceira unidade da Federação – atrás de São Paulo e Rio de Janeiro – com melhores resultados nos indicadores referentes ao Desenrola, o programa lançado pelo Governo Federal em julho de 2023 para combater a crise de inadimplência que se abateu sobre o país em função da pandemia de covid-19. Os números referem-se às negociações realizadas na Faixa 1 do programa, que contemplou pessoas com renda de até dois salários mínimos ou inscritas no CadÚnico.
 

Levando-se em conta apenas as negociações realizadas por meio do site do Desenrola (sem contar os dados de canais dos parceiros, como Serasa, Itaú, Santander, Caixa), 237.703 negociações foram realizadas na Faixa 1 do programa no estado mineiro, envolvendo 212.336 CPFs.
 

Antes do Desenrola, o total da dívida dessas pessoas somava mais de R$ 1,25 bilhão. Com os grandes descontos oferecidos pelo programa, cuja média nacional foi de 83%, mas que em diversos casos ultrapassaram 96%, o valor total negociado em Minas Gerais chegou a R$ 186,7 milhões. Em todo Brasil, o Desenrola beneficiou 15 milhões de pessoas com a negociação de R$ 53 bilhões em dívidas e reduziu a inadimplência entre a população que mais precisa de apoio.
 

O estado mineiro teve 437.805 contratos firmados para a Faixa 1 do Desenrola por meio do site do programa. Eles resultaram em pagamentos à vista que somaram mais de R$ 25,9 milhões, enquanto os pagamentos parcelados responderam por R$ 160,7 milhões do volume negociado.
 


Infográfico 1 | Detalhamento das negociações do Desenrola por região - Fonte: Ministério da Fazenda


BENEFÍCIO — "O programa foi um verdadeiro sucesso, por diminuir o endividamento da população mais vulnerável e reduzir o ritmo de crescimento da inadimplência como um todo. Além disso, precisou de aporte relativamente baixo do governo: R$ 1,7 bilhão dado como garantia caso as pessoas não paguem o refinanciamento", afirmou o secretário de Reformas Econômicas do Ministério da Fazenda, Marcos Barbosa Pinto. "Para cada R$ 1 investido no Desenrola, foram negociados R$ 25 em dívidas atrasadas. Isso beneficiou mais de 600 credores com valores que, em muitos casos, eles já davam como perdidos. Tudo isso favoreceu a economia brasileira como um todo".


ESTADOS — Os estados onde mais pessoas foram beneficiadas pelo programa na Faixa 1 foram São Paulo (25,3% do total), Rio de Janeiro (11,3%) e Minas Gerais (8,6%). Esses estados também lideraram em valores absolutos e em volume de renegociação.


Com 705.890 acordos firmados, São Paulo foi o estado com maior número de negociações na Faixa 1. O valor original das dívidas foi de R$ 3,75 bilhões e, ao fim das negociações, com os descontos de até 90% aplicados, totalizou R$ 500 milhões negociados. Ao todo, 623.705 CPFs foram registrados, que resultaram em 1,4 milhão de contratos revistos.
 

Na sequência, aparecem Rio de Janeiro, com 320.660 negociações, 281.263 CPFs envolvidos e R$ 203,54 milhões negociados; e Minas Gerais, com 237.703 contratos, 212.336 CPFs e R$ 186,77 milhões negociados.


MUNICÍPIOS — Do total de 5.570 municípios, foram realizadas renegociações em 5.567 (99,9%). Com 229 mil negociações, São Paulo é a cidade com maior quantidade na Faixa 1, com 446.221 contratos renegociados. A capital paulista também lidera em relação ao valor negociado: R$ 163,57 milhões.
 

Na sequência aparecem Rio de Janeiro (256.222 contratos e R$ 83,95 milhões negociados), Manaus (126.039 contratos e R$ 50,42 milhões negociados) e Brasília (126.039 contratos e R$ 47,72 milhões negociados).
 

Na Faixa 1 do Desenrola, 52% do público elegível ao programa era formado por mulheres. Entre o público que efetivamente negociou, o percentual de mulheres sobe para 56% do total.

Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República
   ​ ‍