Gestora portuguesa mira negócios em Uberlândia e Uberaba





A gestora de investimentos portuguesa Heed Capital quer avançar na região do triângulo mineiro. A empresa, com sede em Lisboa, é especializada na concessão de vistos de residência em Portugal por meio de aplicações em fundos de investimento, o chamado Golden Visa. 


Brasileiros interessados em viver em Portugal podem aplicar a partir de 500 mil euros em fundos de investimentos no país para terem o direito de morar no país europeu. A gestora vê a região de Uberlândia e Uberaba como uma das mais prósperas no país e quer captar os endinheirados locais.


Investimentos em fundos que aplicam pelo menos 60% em empresas portuguesas e fundos de investimento em partipação, que investem em startups, estão entre as aplicações elegíveis.


A gestora também aposta em parcerias com agentes autônomos de investimentos locais. A Heed Capital já pesquisa parceiros comerciais na região e deve começar as primeiras captações em breve.


Os últimos dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), órgão imigratório de Portugal que recentemente foi substituído pela AIMA (Agência para a Integração, Migrações e Asilo), mostra que entre janeiro e setembro do ano passado, o país recebeu 125 milhões de euros em fundos de investimento e de capitais de risco por investidores estrangeiros com o objetivo de obterem Autorizações de Residência para Investimento (ARI), o chamado Golden Visa.


A alta é de 45% sobre todo o ano de 2022 em fundos que dão direito ao Golden Visa; e 2,6 vezes mais que os recursos aplicados para o mesmo fim em 2019, 2020 e 2021 somados. Os brasileiros são os segundo que mais investiram no programa ARI,desde 2012, perdendo apenas para os chineses.


A entidade gestora portuguesa Heed Capital viu o número de investidores interessados aumentar em quase três vezes no início deste ano quando comparado ao final do ano passado. " Os brasileiros que investem nos fundos elegíveis ao Golden Visa procuram viver em um país com mais segurança, facilidade em transitar pela Europa e diversificar suas aplicações. Além disso, não vamos esquecer que, para muitos, ter o direito à obtenção da nacionalidade Portuguesa é o objetivo principal", afirma Gustavo Caiuby, sócio diretor da Heed Capital.


Para a gestão de ativos internacionais, a parceria com agentes autônomos no Brasil seria através do conceito de gestão de fundos white label, ou seja, estruturação de um fundo a quatro mãos com a empresa de agentes autônomos no Brasil. A ideia é montar um veículo de investimento em Portugal conforme a necessidade dos clientes e condições de mercado.


Assessoria