Fresno dá contornos emo a "Disk Me", sucesso de Pabllo Vittar




As diferentes vertentes sonoras sempre foram algo latente na história da Fresno. Resultado disso são músicas como "The Rhythm Of The Night", regravação da banda italiana Corona; e o projeto INVentário, responsável por aquecer o público para a chegada do disco Vou Ter Que Me Virar (2021). Em abril deste ano, a aguardada parceria entre o trio e Pabllo Vittar ganhou forma com a faixa "Eu Te Amo/ Eu Te Odeio (IO IO)" e, logo, os fãs lembraram da versão de "Disk Me", da Pabllo, criada durante uma das lives que Lucas Silveira (guitarra e voz), Vavo (guitarra) e Guerra (bateria) fizeram durante a pandemia. O grupo, então, propôs um desafio: se a canção recém-lançada alcançasse 1 milhão de streams no Spotify, eles liberariam o cover que estava na gaveta. A meta foi batida no primeiro mês após a estreia. Agora, no dia 21 de junho, chega às plataformas de áudio a regravação do hit pop com alma emo. "Disk Me" precede o show "Fresno convida Pabllo Vittar", no Festival Turá, que acontece no dia 29 de junho, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. 

"Eu acho que 'Disk Me' é a canção mais bonita da Pabllo, no sentido de trazer essa coisa bem melancólica que se conecta em alguns graus com a Fresno", resume Lucas. "Nunca tínhamos encontrado uma ocasião perfeita para lançar, mas esse momento se concretizou agora, com o Turá e com 'Eu Te Amo/ Eu Te Odeio (IO IO)'", completa. A regravação mantém a essência da letra, mas, agora, mergulha nas influências da Fresno. "Sonoramente falando, trouxemos o single para um lado mais emo, mas mantendo aquela levada de sofrência que a faixa tem", explica o vocalista. 

A reinterpretação de "Disk Me" não só celebra a tão esperada colaboração entre Fresno e Pabllo Vittar, mas também destaca a capacidade dos artistas de transcender gêneros. 

Assessoria