Doações de sangue ajudam a manter tratamentos de pacientes em situações críticas


A doação de sangue é uma prática essencial para a manutenção da saúde pública, tanto em nível nacional quanto municipal. O gesto de doar sangue é a única forma de evitar a baixa nos estoques e ajudar na manutenção do tratamento de pacientes em situações críticas. Campanhas locais, em colaboração com instituições como a Unimed Uberlândia, têm sido fundamentais para mitigar essa escassez. A cooperativa médica, que mantem o posicionamento “Cuidar é Para a Vida Toda”, por meio de suas práticas de gestão e políticas de responsabilidade social, contribui para a conscientização e incentivo à doação de sangue, promovendo campanhas regulares entre seus colaboradores e a comunidade.

A realidade, no entanto, é que os estoques de sangue frequentemente enfrentam níveis críticos, especialmente em períodos de férias e festas regionais. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, aproximadamente 1,4% da população é doadora regular de sangue, o que corresponde a cerca de 3,16 milhões de doações anuais. Em Minas Gerais, segundo dados de Cadastro da Fundação Hemominas, apenas 1,8% dos mineiros são doadores de sangue regulares, sendo que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que esse índice seja de, pelo menos, 3% da população.

A médica Thais Camargos Ferreira, hematologista cooperada Unimed Uberlândia, explica que o Hemocentro de Uberlândia, onde ela também atua profissionalmente, é responsável pelo fornecimento de bolsas de sangue de todo o serviço público e alguns serviços privados da região. “Esse estoque cobre urgências, cirurgias e aqueles que dependem de transfusão crônica como pacientes falciformes, talassêmicos e portadores de coagulopatia”, esclarece. Portanto, estoques baixos podem colocar em risco a vida das pessoas. “Quando o estoque está baixo, nós precisamos cancelar todas as cirurgias e procedimentos que possam precisar de sangue e, além disso, os casos de hemorragias nas urgências como acidentes, paciente oncológicos em tratamento com anemia ou sangramentos também podem ficar sem sangue”, alerta.

Para a especialista, o ato de doar sangue é uma demonstração de amor ao próximo. "O doador vem de forma altruísta ajudar pessoas que ele não conhece com a intenção pura de fazer o bem. Todos podem estar do outro lado, precisando de receber sangue. Perceber isso e ser empático com a situação é uma atitude louvável”, afirma. Sobre os protocolos de triagem dos hemocentros, a médica Thais Camargos Ferreira esclarece que são feitas algumas perguntas aos doadores e realizados também exames. “Este procedimento visa tanto a proteção do paciente que vai receber o sangue, como a segurança do doador, por isso, é tão importante a veracidade das respostas”, alerta a especialista.

Em Uberlândia o Hemominas fica Av. Levino de Souza, 1845 – Umuarama. Para doação de sangue, o horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira das 7h às 12h (exceto feriados) e também no segundo e último sábado do mês das 7h às 12h. Os horários devem ser previamente agendados pelo site: https://www.mg.gov.br/agendamento_servico/doacao-de-sangue. Em caso de dúvidas ligue (34) 3088-9200. O agendamento evita a aglomeração de pessoas e contribui para a segurança de todos. Em caso de não comparecimento, o órgão solicita que o agendamento seja cancelado para disponibilizar o horário a outro candidato.

Verifique se você passa nos requisitos de doação:
• Esteja alimentado. Fazer refeições leves e não gordurosas, nas 4 horas que antecedem a doação;
• Não ter ingerido bebidas alcoólicas e nem uso de maconha nas últimas 12 horas;
• Não estar gripado, resfriado ou em processo alérgico;
• Não ter tomado antibiótico nos últimos 15 dias;
• Ter repousado bem na noite antes da doação;
• O candidato à doação deve estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo;
• Pesar acima de 50 kg (com desconto de vestimentas);
• Ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias;
• Doadores com idade de 16 e 17 anos de idade, são aceitos para doação mediante a presença e autorização formal dos pais e/ou responsável legal;
• O limite de idade para primeira doação é de 60 anos;
• Não ter se exposto ao risco de contrair o vírus da AIDS;
• Não ter feito tatuagem, piercing ou maquiagem definitiva (micropigmentação) nos últimos 12 meses. No caso de piercing na cavidade oral e/ou na região genital, aguardar 12 meses após a retirada;
• Não ter diabetes;
• Não estar grávida, nem com suspeita de gestação;
• Não estar amamentando, ao menos que o parto tenha ocorrido há mais de 12 meses;
• Não estar acompanhado de crianças, sem acompanhante na hora da doação;
• Apresentar documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial: RG., carteira profissional, carteira de motorista, etc.

Assessoria