Dmae retira da ETE Uberabinha mais de 153 toneladas de lixo descartado irregularmente pela população neste ano


 

Lixo irregular encontrado na rede de esgoto- Divulgação/Dmae

 

Mais de 153 toneladas de lixo descartado irregularmente já foram retiradas pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Uberabinha nos cinco primeiros meses de 2024. Com média mensal superior a 30,7 toneladas, a quantidade de resíduos, como papel, sacolas plásticas, peças de roupas, calçados e objetos diversos, que a população despeja na rede já representa 54% de todo o material recolhido da ETE em 2023. No comparativo com janeiro a maio do último ano, o aumento registrado é de 6,9%.

Além de contribuir com o entupimento e rompimento de manilhas e sobrecarga da rede coletora, o que impacta em refluxo de esgoto em vias públicas e imóveis, o descarte irregular de lixo na rede de esgoto também aumenta o gasto público com o sistema. Apenas para coletar materiais incompatíveis com a estrutura e destinação do serviço na ETE Uberabinha, o Dmae direcionou até maio mais de R$ 20,4 mil em recursos, valor que corresponde a mais metade dos cerca de R$ 38 mil utilizados para esse fim durante todo o ano de 2023.

"A população tem que se conscientizar que esse descarte irregular acaba afetando toda a rede de esgoto da cidade. Esses números são apenas da ETE Uberabinha, mas podem ser ainda maiores, se considerarmos o que é retirado rotineiramente da rede, antes de chegar à estação, e que não conseguimos contabilizar. Quem sai prejudicado, nessa situação, é toda a comunidade", disse o diretor de Esgotamento Sanitário do Dmae, Lucas Rocha.

Ações preventivas

Para diminuir o impacto do descarte irregular de lixo, o Dmae realiza manutenções e vistorias periódicas na rede de esgoto com caminhões de hidrojateamento, que fazem a limpeza utilizando jato de água e sucção de rejeitos e objetos que estejam obstruindo a tubulação. Atualmente, a autarquia conta com 10 equipes de hidrojato, que atendem a população por meio do Fone Fácil 115 e cuidam da manutenção em toda a rede.

Desde fevereiro, o Dmae também testa um equipamento chamado insuflador, que é alocado nos poços de visita da rede coletora para injetar fumaça nas tubulações. A fumaça injetada segue pela rede até retornar à superfície e, dependendo do local por onde emergir (como bocas de lobos, caixa de passagem ou calhas de drenagem da água da chuva, por exemplo), possibilita a identificação de um provável ponto de ligação irregular.

O departamento ainda reforça que a Prefeitura de Uberlândia disponibiliza gratuitamente, para toda a cidade, serviços para o descarte correto de resíduos domésticos, como coleta convencional e seletiva, ecopontos e cata treco. No Portal da Prefeitura, é possível obter detalhes sobre o atendimento de cada serviço.


PMU