Creatina não apresenta eficácia comprovada no tratamento da Artrose


Apesar de algumas pesquisas sugerirem possíveis benefícios da suplementação de creatina para pacientes com artrose, as evidências científicas não são conclusivas. Especialistas alertam para a falta de fundamentação robusta que justifique a utilização de creatina no tratamento dessa condição degenerativa, que afeta milhões de pessoas em todo o mundo.

 

"A creatina é amplamente reconhecida no meio esportivo por seus benefícios na hipertrofia muscular e na recuperação de lesões. No entanto, as evidências de que esses mesmos mecanismos podem ser benéficos para pacientes com artrose são limitadas e não suficientemente comprovadas," afirma o Dr. Thiago Fukuda, diretor clínico do Instituto Trata e renomado especialista em biomecânica e fisioterapia esportiva. "Embora alguns estudos preliminares sugiram que a suplementação de creatina, combinada com exercícios de resistência, possa melhorar a função muscular, esses resultados não são consistentes nem amplamente aceitos pela comunidade científica."

 

Evidências Científicas

Pesquisas realizadas no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo indicam que, embora a creatina possa ter algum efeito na massa muscular, não há dados suficientes para afirmar que ela reduz significativamente a dor ou melhora a qualidade de vida de pacientes com artrose de forma consistente. A proliferação e diferenciação das células satélites musculares, mencionada em estudos iniciais, ainda carece de provas robustas para ser considerada uma intervenção eficaz (SMM - Sociedade Médica de Muriaé)​​ (SciELO Brasil).

 

Além disso, a literatura científica aponta que os efeitos da creatina na atrofia muscular provocada por corticosteroides e outras condições inflamatórias crônicas ainda são incertos (MSD Manuals). "Os achados até o momento não são suficientemente sólidos para recomendar a creatina como tratamento não farmacológico padrão para artrose. Mais estudos são necessários para validar qualquer benefício real," acrescenta Dr. Fukuda.

 

Aplicações Clínicas

A creatina, um composto natural presente em alimentos como carne e peixe, também pode ser sintetizada pelo corpo humano. No contexto da artrose, a falta de evidências conclusivas sobre seus benefícios sugere cautela. "A creatina pode melhorar a força muscular e a resistência em contextos esportivos, mas sua eficácia no tratamento da artrose é questionável," explica o Dr. Fukuda.

 

A recomendação atual dos especialistas é que os pacientes com artrose sigam um programa de exercícios supervisionado por profissionais de saúde, focado no fortalecimento muscular e na manutenção da mobilidade, em ambiente clínico adequado. "O acompanhamento adequado e o fortalecimento muscular em ambiente clínico são cruciais para a reabilitação de pacientes com artrose. Dependendo de suplementos como a creatina sem evidências robustas pode desviar o foco de tratamentos comprovados," conclui o Dr. Fukuda.

 

Assessoria