21 de junho é o Dia Nacional do Controle da Asma


 

 

Falta de ar, tosse crônica, chiado e aperto no peito, que piora à noite ou com atividade física. Esses são alguns dos sintomas da asma, enfermidade que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), acomete cerca de 340 milhões de pessoas no mundo. Por aqui, 6,4 milhões de brasileiros sofrem com a doença, aponta a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Ministério da Saúde. Grave problema de saúde pública, a asma é a 4ª maior causa de hospitalização no país. São cerca de 350 mil internações por ano a um custo de mais de R$ 500 milhões para os cofres públicos, informa o DataSUS.

 

As complicações da enfermidade e o peso de sua presença entre a população levaram à criação do Dia Nacional de Controle das Asma, como forma de chamar a atenção para os cuidados necessários em relação à enfermidade. Diante da gravidade da asma, que tende a ser ignorada pela população, a Araujo oferece aos seus clientes um serviço de Teste de Controle da Asma. Trata-se de uma série de perguntas de monitoramento aplicadas pelo farmacêutico das unidades da rede de farmácias. A asma está entre as doenças crônicas mais comuns no Brasil, e é uma das principais responsáveis pelas faltas no trabalho e nas escolas.

Isabel Dias, gerente técnica farmacêutica da Araujo, explica que a rede de farmácias conta com a Clínica Farmacêutica Saúde em Dia, que adotou um teste no qual o farmacêutico lança uma sequência de perguntas e, de acordo com as respostas, gera uma pontuação que indica o grau da enfermidade no momento. Com essa pontuação, é gerado o resultado que aponta se a doença está ou não sob controle. Esse teste é importante porque, conforme o resultado, é possível orientar o cliente a procurar um médico imediatamente.

Trata-se, também, de um ótimo momento para orientações farmacêuticas, pois permite avaliar de que maneira a pessoa está utilizando dispositivos como o espaçador, ferramenta muito usada para facilitar a inalação de medicamentos para tratamento e controle da asma.  "Além disso, a avaliação possibilita verificar se, após o uso dos medicamentos inalatórios, o cliente vem realizando o bochecho com água para diminuir os riscos de candidíases e inflamações na região da boca", observa Isabel Dias.

A farmacêutica explica que o programa é aplicado em todas as lojas da Araujo. Assim, o paciente toma conhecimento prévio sobre sua situação respiratória e é informado se é o momento de procurar um médico. A partir do teste, também é possível prover todo o cuidado farmacêutico necessário para esse paciente crônico. "É preciso lembrar que outras doenças acompanham a asma, como é o caso da rinite, por exemplo. O dia 21/06 é uma ótima iniciativa para chamar a atenção sobre a doença e todas as suas complicações quando não controlada" acrescenta Isabel.

Na Araujo, além poder contar com serviço para avaliação do controle da asma, o cliente também pode utilizar desse momento de cuidado farmacêutico para receber orientações sobre as medidas de prevenção da doença.

Entre essas medidas estão a vacinação, como é o caso da gripe e da pneumonia, da Covid entre outras enfermidades respiratórias. Por outro lado, é importante que o ambiente do convívio diário, principalmente o quarto, esteja bem limpo e arejado. Essa limpeza diária deve ser feita com aspirador de pó e pano úmido, sem produtos com cheiro forte. Outra providência a ser tomada é a retirada de tapetes, carpetes, cortinas, almofadas, estantes com livros, enfim, tudo que facilite o acumulo de pó. Os asmáticos também precisam evitar ter animais de estimação em casa, não devem fumar e é recomendável que fujam de ambientes com fumantes.

A farmacêutica ressalta que trabalhar a prevenção e o controle é fundamental, pois a união de doenças respiratórias não é incomum nesta época do ano, como é o caso da alta prevalência de pacientes asmáticos e que também sofrem com rinite.Portanto, é crucial adotar essas medidas preventivas para garantir a qualidade de vida dos asmáticos e de todos que enfrentam problemas respiratórios. Ao cuidarmos da limpeza e da ventilação dos ambientes, além de promovermos a vacinação contra doenças como gripe, pneumonia e Covid-19, estamos não apenas reduzindo os riscos de complicações respiratórias, mas também melhorando o bem-estar geral. Assim, podemos enfrentar com mais segurança os desafios das estações mais críticas para essas condições de saúde, protegendo a saúde respiratória e promovendo um ambiente mais saudável para todos.

 

 

Assessoria